Dois meses após o suicídio de Tony Scott, a ABC News retrata a história alegando que ele tinha câncer no cérebro

Outro

ABC noticias | Poynter | The Hollywood Reporter
Quando o diretor Tony Scott cometeu suicídio em agosto, a ABC News informou incorretamente que ele havia câncer de cérebro inoperável . Embora o legista do condado de Los Angeles tenha dito na época que a família negava que Scott tivesse a doença, a ABC não corrigiu a história até esta semana, após a liberação de um relatório do legista que dizia que não havia nenhum sinal de câncer no cérebro . Em seu relatório de terça-feira sobre a autópsia, há uma nota: 'ABC News retirou essa história de 20 de agosto e estende um pedido formal de desculpas à família e amigos do Sr. Scott.'

Essa história de 20 de agosto foi publicada pela People, Vanity Fair, Huffington Post, TMZ e outros. A história continua a viver online , com uma nota na parte superior que diz: 'A família do diretor Tony Scott, que morreu no domingo após pular de uma ponte de Los Angeles, não sabia que Scott tinha câncer, disse o chefe do condado de Los Angeles, chefe-legista, Ed Winter, à estação ABC News KABC em Los Angeles. A ABC News não conseguiu entrar em contato com a família de Scott para confirmar a declaração do legista assistente. ”

na semana passada esta noite equipe de pesquisa

Na semana da morte de Scott, a ABC disse a Poynter (duas vezes) que não mudaria a história até chegar diretamente à família. “A ABC continuou a entrar em contato com a família nos últimos dias para confirmar diretamente a declaração do legista e não recebeu uma resposta até o momento”, disse o porta-voz da ABC News David Ford a Mallary Tenore por telefone.



Em uma entrevista com o The Hollywood Reporter publicada hoje, O presidente da ABC News, Ben Sherwood, abordou a reversão :



Cometemos alguns erros, corrigimo-los imediatamente, estudámo-los de perto e aprendemos com eles e estamos empenhados, como sempre, em acertar. Quando você abre as páginas de um grande jornal ou revista, inevitavelmente vê a caixa de correção onde todos os dias, todas as semanas, todos os meses, os jornalistas fazendo o seu melhor, conseguem cometer erros.