Os ex-editores do Times-Picayune vão liderar o Baton Rouge Advocate, que tem um novo dono

Outro

O advogado | The Times-Picayune

Os ex-editores gerentes do New Orleans Times-Picayune Dan Shea e Peter Kovacs servirão como gerente geral e editor, respectivamente, do Baton Rouge Advocate, que anunciou que tinha sido comprado pelo empresário de Nova Orleans, John Georges, na terça à noite . O atual editor executivo do Advocate, Carl Redman, permanecerá como editor sênior, diz o anúncio do The Advocate.



A notícia parece sinalizar uma guerra de jornais na Louisiana.



Shea e Kovacs eram expulso pelo Times-Picayune no ano passado enquanto se preparava para reduzir a frequência de impressão e equipe.

“Essa era uma perspectiva muito boa para deixar passar: estamos preservando a propriedade local de um grande jornal, mostrando como a tendência do digital não é incompatível com a impressão de sete dias e trazendo nosso entusiasmo e experiência para uma grande equipe”, escreveu Shea em um e-mail para Poynter na terça à noite.

O Advocate lançou uma edição em Nova Orleans no ano passado, “para preencher uma lacuna que [o Times-Picayune estava] criando”, disse Richard Manship, presidente da empresa proprietária do jornal, em julho passado.



“Nosso plano é simples”, escreve Shea:

el paso atirando falsa bandeira

Dê às pessoas da área metropolitana de Nova Orleans o que elas desejam: um jornal verdadeiramente local entregue em casa durante sete dias. Forneceremos os recursos para fazer isso rapidamente. As pessoas aqui decidirão se estamos tendo sucesso. Os Manships fizeram uma mudança ousada para vir para New Orleans e a equipe do bureau da NO foi magnificamente. Eles receberão alguns reforços.

Kovacs está se mudando para Baton Rouge, diz Shea. Ele terá seu escritório lá, mas diz que planeja “passar muito tempo conhecendo leitores e anunciantes em todo o sudeste da Louisiana”.



Na terça-feira, o Times-Picayune anunciou que vender uma edição de tablóide nas bancas em três dos dias havia parado de imprimir edições diárias.

O Advocate disse em janeiro que vendeu cerca de 22.000 cópias de seu jornal por dia em Nova Orleans. Lançou sua edição de Nova Orleans com uma festa chamativa em setembro passado em que introduziu um escritório de Nova Orleans composto por ex-funcionários do Times-Picayune.

Na última quarta-feira, o Nola Media Group, que publica o Times-Picayune, anunciou que iria lançar uma publicação semanal gratuita chamada BR em Baton Rouge. “Temos sido uma presença constante em Baton Rouge por mais de um século”, escreveu James O’Byrne do NMG em um post apresentando o BR.



Perguntei a Shea se os clientes de Baton Rouge do The Advocate's precisavam se preocupar com toda essa conversa de Nova Orleans. “Vamos ser claros. Vamos investir em Nova Orleans, mas esse esforço, por sua vez, deve se pagar ”, disse ele. “Não enfraqueceremos nossa cobertura em Baton Rouge. É muito importante para nossos leitores e nosso negócio. ”

O advogado não apresentou uma declaração do editor até o momento da publicação do relatório de circulação semestral da Alliance of Audited Media, que foi lançado na terça-feira. Seu relatório de circulação auditado em setembro passado mostrou uma circulação média de domingo de 100.373 exemplares e uma circulação média diária de 75.083 exemplares.

Em seu anúncio, o Advocate disse que 'a área de Nova Orleans é responsável por cerca de um quinto da circulação diária do The Advocate, de 98.000' e que a circulação de domingo é de 'cerca de 125.000'.

O Times-Picayune disse que teve um aumento de 13 por cento na circulação média de domingo em relação a março de 2012 no relatório de terça-feira, um ganho impulsionado pelo que a AAM chama de 'cópias digitais não réplicas' (a circulação média de impressão aos domingos caiu cerca de 9 por cento).

o que Trump quer fazer com a previdência social

Em um e-mail para Poynter, o presidente e editor do Times-Picayune, Ricky Mathews, disse que as cópias digitais não réplicas 'representam a média de usuários únicos de nossos aplicativos digitais durante o período de seis meses encerrado em 31 de março de 2013'. Esses aplicativos, disse Mathews, não vêm com assinaturas.